segunda-feira, 12 de maio de 2008

DRª!!


*clique na imagem p ampliar
Oi Drª, estava com saudades das nossas conversas, nossas é modo de dizer né? Porque isso aqui é um monólogo eterno das minhas reclamações, você só fica aí me ouvindo e balançando a cabeça, divertido isso. Bom, vamos lá, como estou me sentindo? Pra variar não consigo dormir, o cérebro não deixa...não vou falar de novo que as vozes não deixam senão a Srª vai me taxar de maluca né? Mas é isso, as idéias não me deixam dormir, os pensamentos se atropelam, fico até zonza. Eu sei lá, mas até ai nunca sei de nada mesmo, ah lembrei, parei de tomar aquele remédo que o Sr receitou, ele era ótimo no começo, sempre assim o começo é bom depois vai ficando ruim. Tive que ir aumentando a dose porque 5 gotas não faziam mais efeito, 10 gotas e 15 gotas, então dormia bem, sem vozes na cabeça e acordava bem no dia seguinte, sem preguiça de me mexer. Mas num belo domingo ensolarado comecei a chorar e chorei até a terça-feira, quase desidratei...é sério. Foi horrível, a única coisa que queria na hora era deixar de existir e me diga doutora, como é que alguém deixa de existir??? Morre? Apaga? Explode? Some??? E como é que faz isso?
Tá, confesso! Pensei em me matar, mas tava tão deprimida que não consegui nem me mexer e as lágrimas queimavam meus olhos. Ah, tô ficando dramática... Vou ser prática. Parei de tomar o remédio e parei de chorar! Ah! A Srª tá me dizendo que tive uma reação normal ao remédio, que bom. Nunca mais tomo ele viu...! Muito ruim ficar com pena da gente mesmo, se sentir inútil e tão triste.
O resto da semana foi tranquilo, fui em alguns lugares , aprendi a fazer estrogonoffe, peguei a receita num desses programas de culinária, ficou muito bom. Conheci um cara bacana que faz de conta que é uma coisa que não é , ficou me elogiando e falando palavras bonitas, me deixou feliz...mesmo sabendo que era mais um jogo besta de sedução. Enfim, a noite nunca termina, por que que a gente é assim? Que mais...
Olha num sei mais o que te contar, mas por favor, não me dê nenhum remédio ok? Num quero ter outra depressão química. Se eu já descobri o que quero da vida? Na verdade não! Ou melhor, sim. Que tal dois coqueiros, uma rede e uma grande garrafa de coca- gelada .... Brincadeira. Tô tentando, tô tentando encontrar uma meta, um objetivo. Mas tá complicado porque não consigo me decidir em relação a um monte de coisas, não consigo nem decidir qual é a minha cor predileta... imagina uma meta. Queria saber quem foi que inventou esse treco de "ter um objetivo", coisa chata.
Posso ir embora? Ah, muito obrigada, semana que vem tô de volta.ok?

*psiu( drª no pensamento..): Muito estranha esta garota..!

4 comentários:

Gabri Ela ♥ disse...

' aaai *-*
como gosteei daqui :D
me amarrei no post, boom demais.
te linkei Eliis.
muito obrigada pela visita e volte sempre.
Beeijo :*

Patrícia disse...

Olha pra quem ja fez terapia sabe bem... é bem assim mesmo! rs
Adorei seu posto, cheguei a me ver em alguns trechos...
Adorei seu visita!
Te linkei no meu blog viu!
Beijão

Nathália disse...

Se sentir inútil é absurdamente triste.
Eu tenho milhões de metas, elas surgem e se desfazem com muita rapidez. Pouquíssimas permanecem. Às vezes elas ficam transparentes, mas eu sei que elas estão ali. Eu sinto.
Aliás, eu sinto muito.

Beijo!

Ps.: Cara, a última postagem no meu blog foi realmente a mais inútil da minha vida. Hahahahaha

Nathália disse...

Ih menina, nem se preocupe que eu entendi sim.
E eu ri um bocado com o comentário, achei ele ótimo.

Beijo!