quarta-feira, 13 de julho de 2011

Olhe-se um pouco mais e sinta a sua grandeza..


Há um certo perigo em corridas de Fórmula 1. Faz parte da corrida. Sempre que você pilota, faz testes ou corre fica exposto a certos riscos. Há riscos calculados e situações inesperadas que podem surgir. E você pode morrer numa fração de segundo. Você percebe que não é ninguém. De repente, você não é nada e sua vida pode acabar de repente. Isto faz parte de sua vida. Você pode enfrentar isto de modo calmo, profissional ou pode desistir, abandonar e não fazer isto. Acontece que gosto muito do que faço para apenas desistir. Não posso desistir. Faz parte da minha vida”.
(Ayrton Senna 1960 – † 1994 †)


Então se a gente não se arrisca, não se expõe, não se permite , não acelera ... nem tristeza, mas nem felicidade ou alegria vem a gente ... Viver é isso é ser vulnerável as coisas ao redor as situações colocadas , é estar vulnerável... Às vezes a gente faz tudo certo, mas ainda perde. Ou sei lá... acredita que perde...E se feri..
Eu li outro dia que quando a gente não está feliz com alguma coisa existem duas leituras possíveis: ou tudo é um teste pra nossa perseverança, ou é uma sinalização clara de que é necessária uma mudança de rumo. Para descobrir qual é o entre um e outro ou seja a tristeza e a felicidade , restam o silêncio e a oração...

E pensar que nem sempre conseguimos ser o que as pessoas esperaram que um dia fôssemos...
e...
às vezes isso dói.


Mais em nós do que nelas.
** Confuso tudo...quero me sintonizar a mim mesmo....!

3 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

sempre achei F1 algo meio canastrão. Em uma temporada o cara é o rei das pistas, na outras por causa de alguns segundo éo lixo das pistas

Srtª Elis° disse...

ahaha concertza cara edeney.....
estranho isso mistura de ser ou não ser....! Um xero!

Alexandre Fernandes disse...

Arriscar é a grande questão. É isso que nos deve mover a buscar os sonhos que nos alimentam. Só arriscando encontraremos tudo o que desejamos. É preciso correr o risco, porque só assim, no limite de viver, poderemos enfim, sentir a plenitude da vida. Se não aceitarmos encarar os desafios, estaremos desistindo. E nunca acharemos a essência que tanto queremos.

Beijos!