quinta-feira, 16 de junho de 2011

Cócegas...

A gente não guarda os dias... guarda os momentos."

E era estranho, porque ela sentia, mas não se sentia autorizada, meio como se não pudesse, ou quisesse, e fugisse.... Quantas vezes nos pegamos sentindo algo que nem conseguimos explicar? Quanto disso é real, quanto a gente mesmo vai lá e inventa? Quanto se precisa pra saber que... qualquer consequência significaria tão pouco?


Era ilógico. Não fazia sentido. Devia ser coisa dela. Mas então se lembrava...
... fugir desses momentos através da lógica é transformar a vida em estatística.

(Suspiros.....



*
Mas ela fugia. Ela escondia. Ela negava. Ela sofria. Ela lembrava..
E se sentia mais leve...

Assim.!


Fonte:.Serendipities

.

Psiu:*Daniel .. vc que me falou que eu numca falei em você aqui então vai um post interio a vc ...ahaha hei hei veja o video também da mulher do terceiro milienio que vc conheceu aqui ohohoh... !!! Um xeroooo!


2 comentários:

Alexandre Fernandes disse...

Os momentos são as lembranças de que vivemos. Como se desvencilhar dos momentos? Impossível, porque eles são as provas de que vivemos, sentimos e amamos na plenitude. Só uma coisa pode substituir a vivência: a lembrança. E elas são imutáveis. E marcantes.

Beijos!

Srtª Elis° disse...

kkkkk..vamos lá que eu to com pressa....ahahaha um xero ale..!