quinta-feira, 17 de março de 2011

E quando a vida de dá um soco você reagi e diz: Hei pode vim que eu te enfrento!




Nos dias de hoje, cada vez mais, acentua-se a necessidade de ser forte. Mas não há uma fórmula mágica que nos faça chegar à força sem que antes tenhamos provado a fraqueza."


Eu me experimento inacabado. Da obra, o rascunho. Do gesto, o que não termina.
Sou como o rio em processo de vir a ser. A confluência de outras águas e o encontro com filhos de outras nascentes o tornam outro. O rio é a mistura de pequenos encontros. Eu sou feito de águas, muitas águas. Também recebo afluentes e com eles me transformo,
O que sai de mim cada vez que amo? O que em mim acontece quando me deparo com a dor que não é minha, mas que pela força do olhar que me fita vem morar em mim? Eu me transformo em outros? Eu vivo para saber. O que do outro recebo leva tempo para ser decifrado. O que sei é que a vida me afeta com seu poder de vivência. Empurra-me para reações inusitadas, tão cheias de sentidos ocultos. Cultivo em mim o acúmulo de muitos mundos.
Por vezes o cansaço me faz querer parar. Sensação de que já vivi mais do que meu coração suporta. Os encontros são muitos; as pessoas também. As chegadas e partidas se misturam e confundem o coração. É nesta hora em que me pego alimentando sonhos de cotidianos estreitos, previsíveis.
Mas quando me enxergo na perspectiva de selar o passaporte e cancelar as saídas, eis que me aproximo de uma tristeza infértil.
Melhor mesmo é continuar na esperança de confluências futuras. Viver para sorver os novos rios que virão.
Eu sou inacabado. Preciso continuar.
Se a mim for concedido o direito de pausas repositoras, então já anuncio que eu continuo na vida. A trama de minha criatividade depende deste contraste, deste inacabado que há em mim. Um dia sou multidão; no outro sou solidão. Não quero ser multidão todo dia. Num dia experimento o frescor da amizade; no outro a febre que me faz querer ser só. Eu sou assim.
( Padre Fabio)

3 comentários:

Alexandre Fernandes disse...

Precisamos nos descobrir a cada minuto. Estaremos sempre em processo de cosntrução. O aprendizado é uma continuidade presente na vida. Caímos para aprendermos a levantar. Levantamos para aprendermos a cria forças. Criamos forças para então resistirmos às nossas fraquezes. Temos fraquezas porque não nos conhecemos completamente.

O importante é enfrentar e não desistir da luta.

Texto bonito e muito reflexivo.

Beijos!

Teca disse...

O amadurecimento torna isso mais fácil, mas acho que nunca será o suficiente! Bjo

sem esquecer disse...

Não há como nossa mente pequena compreender o amor de deus,mais isso não o impede dele vir até nós.
Não importa quão bom és,sempre irá ser moldado,mesmo que isso venha a ser dolorozo é necessário.É importante reconhecer que Deus enxerga além do que podemos imaginar,não sofra por problemas,simplesmente enfrente a vida.