terça-feira, 11 de janeiro de 2011

"But I'm just a fucked-up girl who's lookin' for my own peace of mind..."




Ela que acreditava continuava caminhando..... Chorava às vezes, rezava sempre. Pensava em fadas o tempo todo. E sem ninguém saber, em segredo, cada vez mais: acreditava, acreditava.”

Então, de repente, sem pretender, respirou fundo e pensou que era bom viver. Mesmo que as partidas doessem, e que a cada dia fosse necessário adotar uma nova maneira de agir e de pensar, descobrindo-a inútil no dia seguinte - mesmo assim era bom viver. Não era fácil, nem agradável. Mas ainda assim era bom. Tinha quase certeza.
Sem tempo para lidar com mediocridades. Não queriria estar em lugares onde desfilassem egos inflados. Não tolerava gabolices. Inquietava-se com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte... Lembrou-se agora de Mário de Andrade que afirmou: 'as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.”

"Gosto de pessoas doces, gosto de situações claras; e por tudo isso, ando cada vez mais só."

"But I'm just a fucked-up girl who's lookin' for my own peace of mind..."

(mas eu sou apenas uma garota ferrada que está olhando para a minha própria paz de espírito)

8 comentários:

Diego! disse...

"Sem tempo para lidar com mediocridades. Não queriria estar em lugares onde desfilassem egos inflados"

Gostei disso!

Marcelo R. Rezende disse...

Foda!

Quero conteúdo também, quero o que está dentro, pulsando, cativo!

Beijo, sua linda.

Tati Rodrigues disse...

'Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa'...

Uau! Muito bom esse texto, me identifiquei muito...

beijos e até.

Alexandre Fernandes disse...

Hoje as discussões são tolas. Deixa de vislumbrar o mais essencial dentro de cada um. E por isso achamos tão difícil mensurar o que se passa ao redor. E mais difícil suportar o peso de alguns caminhos. Caminhos mascarados pela hipocrisia ou pela dor.

Não! Queremos algo verdadeiro. Queremos situações claras e pessoas doces. Mas é difícil e escasso. Por isso nos sentimos tão sós.


Beijos!

Anny Caroline Lopes. disse...

Adorei o blog, os textos, gostei muito desse espaço.
Também estou te seguindo e peço desculpas pela demora, vou passar a seguir de pertinho todas tuas postagens. Beeeijos;*

Leo disse...

É por isso que estou cada vez mais só também, quero conteúdo, cultura e bom gosto!

Beijos, moça bonita!!

Higor disse...

Gostei mesmo do texto cara, parabéns!.

Tati Lemos disse...

E as coisas vão passando e a gente vai ficando nesse mundo vazio!


Beijo, lindas palavras