quarta-feira, 15 de julho de 2009

Sobre Viver


Você e uma pessoa legal, você nasci seus pais te dão o melhor que podem e voce pensa que tudo vai dar certo..ai você cresci vira mocinha e descobre algumas coisas que denominamos responsabilidades.. você começa a enxergar os outros e vê os outros com um ar de admiração... ai você começa a traçar metas isso... aquilo que todos nós denominamos sonhos...ai você cresce novamente não no sentido de tamanho mais no sentido de vida começa a perceber a vida COMO ELA É*.. e neste exato momento pensa que ela é boa demais para se morrer e quer viver...

O que é vida? Mais precisamente, o que é a vida de um ser humano? O que e quem a define?

Já tive medo da morte. Hoje não tenho mais. O que sinto é uma enorme tristeza. Concordo com o poeta Mário Quintana: "Morrer, que me importa? (...) O diabo é deixar de viver." A vida é tão boa! Não quero ir embora...
Eram 9h. Minha sobrinha me acordou. Ela tinha três anos. Fez-me então a pergunta que eu nunca imaginara: "PAPAI, quando você morrer, você vai sentir saudades?". Emudeci. Não sabia o que dizer. Ela entendeu e veio em meu socorro: "Não chore, que eu vou te abraçar..." Ela, menina de três anos, sabia que a morte é onde mora a saudade.
Cecília Meireles sentia algo parecido: "E eu fico a imaginar se depois de muito navegar a algum lugar enfim se chega... O que será, talvez, até mais triste. Nem barcas, nem gaivotas. Apenas sobre humanas companhias... Com que tristeza o horizonte avisto, aproximado e sem recurso. Que pena a vida ser só isto...”

Aprendi com Albert Schweitzer que a "reverência pela vida" é o supremo princípio ético do amor. Mas o que é vida? Mais precisamente, o que é a vida de um ser humano? O que e quem a define? O coração que continua a bater num corpo aparentemente morto? Ou serão os ziguezagues nos vídeos dos monitores, que indicam a presença de ondas cerebrais?Confesso que, na minha experiência de ser humano, nunca me encontrei com a vida sob a forma de batidas de coração ou ondas cerebrais. A vida humana não se define biologicamente. Permanecemos humanos enquanto existe em nós a esperança da beleza e da alegria. Morta a possibilidade de sentir alegria ou gozar a beleza, o corpo se transforma numa casca de cigarra vazia.
Dizem as escrituras sagradas: "Para tudo há o seu tempo. Há tempo para nascer e tempo para morrer". A morte e a vida não são contrárias. São irmãs. A "reverência pela vida" exige que sejamos sábios para permitir que a morte chegue quando a vida deseja ir. (Rubem Alves)

(Texto publicado no jornal “Folha de São Paulo”, Caderno “Sinapse” do dia 12-10-03.)

Bom... hoje nem quero falar muito... creio que o sábio texto disse por mim... apenas o dedico esse texto a todos aqueles que pensem na brevidade da vida de como a vida pode ser boa mesmo cheia de problemas e que saber aproveitar as pequenas coisas da vida e não se preocupar porque "a cada dia o seu dia" deveria ser regra desde o nosso primeiro dia de vida!
xerooo a todos meuS estimavéis blogueiros!

8 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Eu simplesmente não consigo falar sobre a brevidade da vida porque quando eu tinha 15 anos já achava ela longa demais... eheheh

Minha relação com a morte é bem polêmica, um dia faço um post sobre isso e todo mundo vai me apedrejar em praça pública... ahahah

Beijocas

Thaisa Schelles disse...

Esse tema morte é sempre muito discutido, e quando chegamos a um acordo, é apenas esse aproveitar enquanto ainda estamos vivos.
Adorei o texto.
Beijos e ótima semana;)

Angela disse...

XD
virei sua fã, adorei seu blog, seus textos.

Nhaa a morte é algo que não me causa medo! Acho que se eu morresse hoje, eu morreria feliz, pq eu aproveito cada um dos meus minutos! Seria triste deixar tudo isso, pq eu sou uma paixonada pela vida, mas medo eu não teria. Acho qe não deve ser algo tão ruim assim...
O fato é que o ser humano tem medo do desconhecido!

Seus textos são magnificos!
:**

Vinícius Aguiar disse...

De fato, viver é bom demais... morrer? Não sabemos... mas o fato é que o temor do inevitável pode fazer com que percamos a graça em algo tão maravilhoso como a vida!

Beijão!

Mário e Cris disse...

Um sábio texto que me leva sim a ver a vida como ela é verdadeiramente...

Obrigada pelas doces e tão carinhosas palavras que nos presenteia a cada vez que está conosco.
Que a amizade que você a todos devota volte sempre em dobro para você e sua família!
FELIZ DIA DO AMIGO!
Uma semana iluminada, um abraço, Cris

Rafaela Abreu disse...

Gostei do texto... mas ainda tenho medo da morte!

Até!

Toninho Moura disse...

Todo dia é dia! Com tesão!

PS: Linka o "Dicas..." aqui, vai...

Daniel Savio disse...

É meio complexo, pois a morte é a parte da vida, mas tem gente que se entrega a ela ainda em vida...

Fique com Deus, senhorita Elis.
Um abraço.