sexta-feira, 20 de junho de 2008


* clique na imagem p ampliar
Haroldo: O que você tá fazendo?
Calvin: Ficando rico!
Haroldo: Mesmo?

Calvin: É, estou escrevendo um livro de auto-ajuda! Tem um mercado enorme pra essas coisas. Primeiro, você convence as pessoas de que há algo errado com elas. Isso é fácil, porque a publicidade já condicionou as pessoas a se sentirem inseguras quanto ao seu peso, aparência, status, atração sexual e assim por diante. Depois, você as convence que o problema não é culpa delas e que elas são vítimas de forças maiores. Isso é fácil, porque é o que as pessoas acreditam de qualquer forma. Ninguém quer ser responsável pela sua própria situação. Finalmente, você as convence de que com os seus sábios conselhos e encorajamento, elas podem resolver seu problema e serem felizes.

Haroldo: Engenhoso. Que problema você vai ajudar as pessoas a resolver?

Calvin: O seu vício em livros de auto-ajuda! Meu livro se chama “Cale a boca e pare de choramingar: como fazer algo com a sua vida além de pensar em si mesmo”

Haroldo: Você deveria esperar pelo adiantamento antes de comprar qualquer coisa.

Calvin: O problema é… se o meu programa der certo, eu não poderei escrever uma continuação.
:::::Eu adoro o calvim..srsrs, que garotinho mais legalzinho!

8 comentários:

Nadezhda disse...

Essa semana eu estava no mercado, e minha imrã me disse: "Olha só os livros mais vendidos, só tem de auto-ajuda".

Mas eu aind anão sei que ajuda esses livros proporcionam.

(Se um dia eu precisar de muito dinheiro, quems abe não escrevo um..)

;)

Juh... disse...

as pessoas se acostumaram
a ouvir frases de efeito
parece até que ninguém sabe conversar consigo msm!
=X
n entendo o nome auto ajuda
se é pra pessoa se ajudar
não precisa da interferencia de um autor interessado em ganhar seu dinheiro
eu me auto ajudo
e não preciso de ninguém pra isso!!
ótima tira!
=)

Dama de Cinzas disse...

Ainda lembro do meu primeiro contato com livro de auto ajuda, que foi lá pelos meus 15 anos de idade. Nossa! Eu tinha certeza que se fizesse tudo que tava ali eu conseguiria o que o livro prometia. Fiquei tão frustrada quando nada aconteceu que tomei horor a esse tipo de literatura... rs

Beijos

Luifel disse...

Caramba moça, calvin! Quanto tempo num paro pra ler tirinhas dessas

Bjs.

PS: to sentindo falta das visitas..hehe

http://biblinotas.blogspot.com

Menina da lua disse...

Olha, eu não leio auto-ajuda.
Não é preconceito, nada contra.
A questão é: pra que servem?
Você os lê no sábado, achando que sua vida vai mudar e, na segunda, nada mudou (...)

Ótimo tema.

Bjin

''[G]ü[R]ÿ disse...

hahaahaha.. adorei elis, aliás, foi vc q escreveu??.. pq nusss.. q crítica esta, hein.. é uma crítica que todos tem mas q nunca fazem.. ahsuhdaushuad... adorei a historinha!!!

aloohaaaaaaaa

Me, Myself and I disse...

Muito tempo sem ver a sensibilidade acústica de seu blog, vim aqui para matar saudades de coisas que sei que nunca vivi ainda .
Isso aqui é da terra é ?? ehehe

Adoro .

Beijo

A n i n h a a disse...

Calvin e Haroldo são o máximo.

Leio desde que tinha 8 anos, quando pegava os livros da minha irmã e ainda nem entendia as piadas direito.
Posso atribuir boa parte do meu sarcasmo aos dois *-*

heey, gostei do bloog :D
obrigada pela sua visita, e trate de voltar, hãn?

beijoka